O líder do grupo extremista islâmico Boko Haram reivindicou esta segunda-feira o sequestro de mais de 200 raparigas em abril, no nordeste da Nigéria, e disse que elas vão ser tratadas como «escravas», «vendidas» e «casadas» à força.

«Raptei as vossas raparigas», afirmou Abubakar Shekau, num vídeo de 57 minutos obtido pela agência France Presse.

Duzentas e setenta e seis raparigas adolescentes foram raptadas a 14 de abril da escola que frequentavam em Chibok (nordeste), no estado de Borno. Segundo a polícia, 53 raparigas conseguiram fugir, mas 223 continuam sequestradas.

A BBC noticia esta segunda-feira também que a mulher que conduzia os protestos para libertação das raparigas foi mandada deter, aparentemente, pela mulher do presidente, depois desta se ter reunido com as mães das crianças raptadas, lideradas por Naomi Mutah.

As famílias e muitos nigerianos criticam as autoridades por considerarem que estão a fazer pouco para recuprar as estudantes, apesar do presidente Goodluck Jonathan já ter dito que «onde quer que estas raparigas estejam, de certeza que as vamos livertar».