Duas raparigas de 12 anos esfaquearam 19 vezes uma outra jovem em Waukesha, no Wisconsin, numa tentativa de homicídio que está a chocar os EUA. As menores, que vão ser julgadas como adultas, e que arriscam uma pena de prisão até 65 anos se forem condenadas, explicaram à polícia que apenas queriam agradar a «Slender Man», uma personagem de terror que descobriram na Internet e com a qual estavam obcecadas.

De acordo com a CNN, o crime foi encarado pelas duas crianças como um sacrifício necessário para entrarem no culto do «homem sem cara» e, assim, finalmente conhecê-lo, e provar a todos que ele, de facto, existia.

Versão pesada do clássico «papão»

O «Slender Man» está longe de ser real. Morgan e Anissa conheceram a lenda urbana, que há muito circula pela Internet, através do site Creepypasta, que disponibiliza pequenos contos de terror, alguns deles da sinistra personagem. De acordo com o site, a figura de «Slender Man» é enigmática, com um corpo extremamente magro e comprido, vestido com um fato e uma cabeça branca, sem cara ou expressão e tem como objetivo, numa versão mais pesada do clássico «papão», perseguir crianças, hipnotizá-las e traumatizá-las. Na Internet existem vários vídeos, imagens e histórias à volta da personagem sem cara, que é capaz de se teletransportar, deixar pessoas paranoicas, esticar ou encurtar os braços e usar tentáculos escondidos para matar.

Morgan confirmou à polícia que, tal como Anissa, ficou obcecada com o «Slender Man», que de acordo com a jovem começou a observá-la, a ler os seus pensamentos e a teletransportar-se. As duas raparigas admitiram sentir uma mistura de medo e fascínio com a figura, para elas real, e após a morte da colega planeavam ir viver para a mansão do «Slender Man», cuja morada nunca indicaram.

Na terça-feira, o administrador do site publicou um comunicado onde fala do caso de Waukesha, depois de ter recebido várias críticas. «Não acredito que seja culpa do Slender Man ou de contos de horror em geral que isto aconteceu», escreveu o responsável. «Enquanto não acredito que histórias arrepiantes as leve [crianças] a tornarem-se más ou doentes, penso que pode assustá-las e/ou deixá-las ansiosas. E se o seu filho tem problemas de violência ou depressão, é muito importante certificar-se que não interagem com coisas que aumentem isso», acrescentou, para depois sublinhar que a «maioria das pessoas não veem o Hannibal e transformam-se em assassinos em série».

A génese do «Slender Man»

De acordo com a enciclopédia Know Your Meme, o nome do mito apareceu pela primeira vez num concurso de Photoshop, organizado em 2009 pelo site Something Awful, os participantes tinham que transformar fotografias normais em imagens arrepiantes através da manipulação digital e depois torná-las como fotografias autênticas e partilhá-las em fóruns dedicados ao paranormal. O concorrente Victor Surge criou duas fotografias a preto e branco, onde se viam crianças e uma criatura misteriosa que as perseguia.

A partir daí, a popularidade da lenda cresceu: no mesmo ano, «Marble Hornets», o primeiro trabalho considerável envolvendo o «Slender Man», foi lançado no YouTube. A série, que contava a história de um homem perseguido pela criatura parecida com «A Bruxa de Blair», foi publicada em capítulos na Internet ao longo dos meses seguintes.

Entre outros conteúdos em vídeo inspirados pela lenda, o Slender ainda «rende» em sites como Reddit e 4Chan, além de videojogos como o popular «Slender: The Eight Pages» lançado em 2012.