Um recém-nascido morreu depois de ter sido mordido por ratos num hospital público no sul da Índia, revelou hoje a mãe.

Três responsáveis sanitários foram suspensos, na sequência deste incidente no hospital público Guntur no estado de Andhra Pradesh, onde o menino, com dez dias, estava internado na unidade de cuidados intensivos neo-natal devido a problemas urinários.

A mãe, Chavali Lakshmi, afirmou ter alertado o pessoal depois de ter visto marcas de mordeduras nos dedos do bebé.

O ministro-chefe do estado de Andhra Pradesh, N. Chandrababu Naidu, anunciou a suspensão de três responsáveis sanitários e abertura de um inquérito ao incidente.

O principal responsável do hospital T. Venugopala Rao afirmou ao jornal Times of India que, depois de várias queixas, tinham sido colocadas ratoeiras na unidade de cuidados intensivos neo-natal, considerando que a morte do bebé "é um incidente infeliz".

A maioria dos 1,2 mil milhões de habitantes da Índia depende dos hospitais públicos, com falta de pessoal e recursos, para ter cuidados médicos gratuitos.

No ano passado, um hospital no estado de Madhya Pradesh, no centro do país, contratou equipas de desratização, na sequência de várias queixas de doentes mordidos por ratos.