Três meses após a tragédia de Pedrógão, o jornal britânico The Guardian publicou uma reportagem, filmada no local, com dez minutos, sobre o incêndio devastador de 17 de junho, intitulada “O maior incêndio florestal de Portugal: ‘Todos pensámos que íamos morrer’”.

Uma equipa de reportagem do jornal britânico viajou até Pedrógão Grande e recolheu imagens e testemunhos arrepiantes.

A 17 de junho, um incêndio varreu as florestas do centro de Portugal, matando 64 pessoas e destruindo mais de 480 casas. Depois de um verão de números recordes de fogos no sul da europa, o The Guardian viajou para as aldeias devastadas em Portugal para descobrir por que o fogo de junho foi tão mortal e o que pode ser feito para evitar que aconteça novamente”, pode ler-se na descrição da reportagem publicada no jornal britânico.

O fogo deflagrou em Pedrógão Grande, mas alastrou a outros concelhos e provocou 64 mortos e mais de 200 feridos. Só foi dado como extinto uma semana depois.

Quarenta e sete das 64 vítimas mortais perderam a vida na estrada nacional 236-1, que ficou conhecida como a “estrada da morte”, a tentar fugir das chamas.