Algumas das famílias que sobreviveram ao incêndio que, a 14 de junho, destruiu por completo a Torre Grenfell, em Londres, no Reino Unido, vão ser realojadas em cerca de 68 apartamentos de luxo, ainda em construção, em Kensington. As casas, que têm um preço de venda em mercado a partir de 1,6 milhões de libras (1,8 milhões de euros) e podem chegar aos 8,5 milhões de libras (9,6 milhões de euros), foram adquiridas pela câmara de Londres. 

De acordo com o jornal britânico The Guardian, os 68 apartamentos integram um grande complexo de casas de luxo, denominado Kensington Row, na zona oeste de Londres. O bairro de Kensington, em que se localiza, é o mesmo que o da Torre Grenfell e a distância que os separa é de cerca de 2,5 quilómetros. Uma distância suficiente para separar a zona pobre onde se ergue agora a torre calcinada e a zona rica onde os sobreviventes deverão ser realojados nos próximos meses.

O complexo de luxo dispõe de vigilância permanente, com um porteiro 24 horas por dia. Também tem piscina, sauna, spa e cinema privado, mas ainda não está claro se os sobreviventes realojados terão acesso a estas condições.

A expetativa é que estas propriedades sejam oferecidas como uma opção de realojamento permanente dos moradores da torre Grenfell”, explica o Departamento de Comunidades e Governo Local britânico.

A notícia da chegada dos desalojados da Torre Grenfell não agrada a alguns dos futuros vizinhos. O The Guardian cita uma moradora do complexo que afirma que a situação é "injusta".

Pagámos muito dinheiro para viver aqui, trabalhámos muito para isso. Agora vêm estas pessoas, que não vão pagar nada", afirma a moradora, identificada como Maria.

Outro dos vizinhos ouvido pelo jornal, Nick paga uma renda de 2500 libras (cerca de 2800 euros) por uma casa com um quarto e levanta algumas dúvidas.

Quem eram os verdadeiros inquilinos da torre Grenfell? Parece que muitos dos apartamentos estavam subalugados. Agora, as pessoas que tinham o nome nos arrendamentos vão ser realojadas aqui e depois vão arrendar os apartamentos. E aqueles que viviam realmente na torre não vão ser realojados", defende.

 "Tenho pena que as pessoas tenham perdido as suas casas, mas muita gente comprou estes apartamentos e agora vai ver o valor deles descer", acrescenta.

Incêndio na Torre Grenfell começou num frigorífico

O incêndio na Torre Grenfell, que provocou 79 mortos, teve origem num frigorífico defeituoso, anunciou esta sexta-feira a Polícia Metropolitana de Londres.

Trata-se do modelo Hotpoint FF175BP. A superintendente da Polícia Metropolitana de Londres, Fiona McCormack, indica que o governo ordenou uma avaliação imediata daquele modelo.

A polícia está a avaliar a possibilidade de acusações formais por homicídio involuntário e já confiscou documentos e materiais de várias empresas.

Estamos a analisar cada uma das infrações às regras de segurança, saúde e proteção contra incêndios e estamos a rever todas as empresas envolvidas na recuperação da Torre Grenfell", disse a superintendente da polícia, em conferência de imprensa.

Apesar de o incêndio ter tido origem num frigorífico defeituoso, Fiona McCormack disse também que o revestimento e o isolamento do prédio falharam em todos os testes de segurança.