O comandante da polícia de Londres, Stuart Cundy, afirmou, este sábado, que há 58 pessoas desaparecidas, "presumivelmente mortas", na sequência do incêndio que destruiu a torre Grenfell. 

Este novo número inclui as 30 mortes que já tinham sido confirmadas pelas autoridades, na sexta-feira. 

O comandante Stuart Cundy vincou que o balanço é ainda provisório e reconheceu que o número de vítimas ainda pode vir a aumentar, uma vez que as operações de busca vão prolongar-se durante as próximas semanas. De resto, as autoridades já tinham reconhecido que o número de mortos pode vir a ultrapassar uma centena

Assim que conseguirmos vamos tentar localizar e recuperar as vítimas", destacou.

O polícia apelou a que todos aqueles que conseguiram escapar do edíficio avisem as autoridades para que se saiba que estão bem.

De acordo com a BBC, há ainda cerca de 70 pessoas desaparecidas. 

Após o fracasso eleitoral, o incêndio que destruiu a torre residencial no centro de Londres veio pressionar ainda mais a primeira-ministra, Theresa May. A governante tem sido muito criticada pela falta de resposta emocional à tragédia.

E o anúncio de abertura de um inquérito ao desastre não apaziguou os ânimos. Na sexta-feira, centenas de pessoas protestaram em frente à Câmara Municipal de Kensingston e Chelsea, do qual depende o prédio de habitação social, pedindo “respostas” e gritando por “justiça”.