Matteo Renzi, primeiro-ministro da Itália, avisou este domingo:

"As respostas da Europa, até agora, não têm sido suficientemente boas. (...) Se a Europa escolher a solidariedade, ótimo. Se não escolher, temos um plano B pronto, mas este prejudicaria, antes de mais nada, a Europa".

"Ou temos uma distribuição equitativa de imigrantes pela Europa, ou organizamos campos de refugiados na Líbia, ou organizamos uma política séria de repatriação. (...) Se a Europa não estiver à altura da sua responsabilidade e solidariedade, encontrará uma Itália diferente".