Esta quinta-feira, o porta-voz do Departamento de Estado do governo dos Estados Unidos, Jeff Rathke, afirmou que está a «acompanhar a evolução» das ilhas com «grande preocupação.

«Na nossa opinião, a apropriação de terras e construção de atividades por parte da China aumentou a ansiedade e tensão na região»

Também o almirante Harri Harris, responsável pela Frota do Pacífico dos Estados Unidos, questiona as intenções de Pequim com as atividades sobre a grande reserva de corais.

«No decorrer de alguns meses, a China criou uma grande parede de areia com dragas e tratores. Está a construir terrenos artificiais deslocando areia dos recifes de corais vivos, alguns dos quais estão submersos e pavimentados em cimento.»

Segundo Vincent Ni Weifeng, do Serviço Chinês da BBC, a construção das ilhas artificiais foi proposto há já alguns anos, embora só tenha acelerado nos últimos meses.

«A China considera a zona como parte do seu território e do seu ponto de vista tem o direito de fazer estas construções».