A China está a construir novas ilhas artificiais no meio do Mar do Sul da China, num zona que é reivindicada pelas Filipinas, Taiwan e o Vietname. As imagens do Centro Internacional de Estudos Estratégicos – CSIS mostram a forma como a China pretende salvaguardar a soberania num território que abrange quase todo o Mar do Sul da China e que não lhe pertence.



Esta quinta-feira, o porta-voz do Departamento de Estado do governo dos Estados Unidos, Jeff Rathke, afirmou que está a «acompanhar a evolução» das ilhas com «grande preocupação.

«Na nossa opinião, a apropriação de terras e construção de atividades por parte da China aumentou a ansiedade e tensão na região»

Rathke espera que os envolvidos procurem uma «solução pacífica e diplomática na disputa marítima e territorial no Mar da China Meridional»



Também o almirante Harri Harris, responsável pela Frota do Pacífico dos Estados Unidos, questiona as intenções de Pequim com as atividades sobre a grande reserva de corais.

«No decorrer de alguns meses, a China criou uma grande parede de areia com dragas e tratores. Está a construir terrenos artificiais deslocando areia dos recifes de corais vivos, alguns dos quais estão submersos e pavimentados em cimento.»

O ano passado a BBC fez um relatório, ao qual o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chungying, respondeu que «as operações do seu país nas ilhas Spratly estão completamente dentro da soberania da China e foram totalmente justificadas» e servem principalmente para melhorar as condições de trabalho e de vida das pessoas.



Segundo Vincent Ni Weifeng, do Serviço Chinês da BBC, a construção das ilhas artificiais foi proposto há já alguns anos, embora só tenha acelerado nos últimos meses.

«A China considera a zona como parte do seu território e do seu ponto de vista tem o direito de fazer estas construções».

Acrescentou ainda que o site extraoficial militar da China informou que os exercícios militares é um dos propósitos da construção destas porções de terra artificial.