Um vídeo mostra um avião civil de passageiros a arder na pista do aeroporto da capital do Iémen após um ataque aéreo. O avião foi destruído depois do aeroporto de Sanaa ter sido bombardeado na sequência da ofensiva aérea liderada pela Arábia Saudita contra as milícias xiitas “huthis”, refere o jornal britânico “Mirror”.

A guerra no Iémen já provocou mais de mil mortos, incluindo 551 civis, desde que os bombardeamentos começaram, referiu a ONU. De acordo com a UNICEF, pelo menos 115 crianças estão entre os mortos.

A coligação liderada pela Arábia Saudita tem de neutralizar o aeroporto, informou na segunda-feira a ONU, que está a criar uma ponte aérea para enviar funcionários para prestarem ajuda no país a partir de Djibouti.

Também na segunda-feira, o ministro saudita dos Negócios Estrangeiros disse que a coligação arábe que leva a cabo ataques áereos contra os xiitas no Iémen está a considerar conceder uma trégua em zonas específicas para que a ajuda humanitária possa chegar ao país.

“Os ataques aéreos da coaligação tiveram como alvo as pistas do aeroporto internacional de Sanaa durante a semana passada, tornando-as inoperacionais", afirmou em comunicado o Coordenador Humanitário da ONU para o Iémen, Johannes Van Der Klaauw.

"Nenhum avião pode descolar ou aterrar enquanto as pistas estão a ser reparadas”, acrescentou.

"Eu recomendo vivamente que a coaligação pare de bombardear o aeroporto internacional de Sanaa e para preservar esta importante linha de vida – também todos os outros aeroportos e portos marítimos – para que os funcionários humanitários possam chegar a todas as pessoas afetadas pelo conflito armado no Iémen”, concluiu.