O terceiro terrorista do ataque de sábado em Londres será Youssef Zaghba, filho de pai marroquino e mãe italiana, avançou esta terça-feira o jornal italiano Corriere Della Sera, citado pela Reuters. Menos de uma hora depois, a Polícia Metropolitana de Londres confirmava a identidade através do Twitter. Na mesma mensagem apela à população que tenha informações sobre os suspeitos a procurar as autoridades.

 

Recorde-se que as autoridades britânicas, na segunda-feira, apenas tinham identificado dois dos terroristas.

Segundo a polícia, Youssef Zaghba tinha 22 anos, seria de nacionalidade italiana e tinha ascendência marroquina. Tal como os outros atacantes residia na zona leste de Londres e a família já foi notificada. As autoridades admitem que nunca tinha sido "investigado" e não era considerado "um pessoa de interesse" em nenhum inquérito.

Todavia, segundo o Corriere Della Sera, que cita fonte dos Serviços Secretos italianos, Youssef Zaghba foi detido em Itália, em 2016, no aeroporto de Bolonha, a tentar viajar para a Síria. Na altura, as autoridades italianas avisaram o Reino Unido "das suas movimentações". Mas não só. Marrocos também foi avisado das constantes viagens.

Segundo a mesma notícia, Youssef Zaghba nasceu em Fez, Marrocos, em 1995. A mãe do atacante vive em Bolonha, de onde será natural.

Corriere Della Sera escreve que os pais viveram durante um período de tempo em Marrocos, mas depois separaram-se e a mãe regressou a Itália. O filho, nos últimos anos, terá visitado a progenitora por diversas vezes.

Em 2016, após ser detido no aeroporto, foi aberto um inquérito, mas este não foi acusado de suspeitas de terrorismo, porque na sua posse foram apenas encontrados vídeos de conteúdo religioso. Na altura, tinha apenas uma mochila, um telemóvel e um bilhete de ida para Istambul - queria chegar à Síria através da Turquia. À mãe tinha dito que ia para Roma.

Mesmo sem ter sido formalmente acusado, o seu nome terá ficado numa lista como "pessoa de risco". Recentemente tinha conseguido um emprego em Londres, num restaurante.

Mais uma detenção

Esta terça-feira a polícia britânica anunciou também a detenção de mais uma pessoa, um "homem de 27 anos", residente na área de Barking, por suspeitas de terrorismo. As autoridades confirmaram ainda que estava a ser efetuada uma busca domiciliária, numa morada na mesma zona.