Ibrahim El Bakraoui, que se fez explodir no aeroporto internacional de Bruxelas a 22 de março, deixou uma mensagem no computador encontrado num caixote do lixo após o atentado, na qual desculpa os outros suspeitos detidos por cumplicidade.

No computador encontrado numa rua de Schaerbeek, que também continha o seu testamento, Ibrahim El Bakraoui, um belga de 29 anos, menciona diferentes suspeitos que o ajudaram na preparação do atentado suicida, através da compra ou do arrendamento de ‘casas seguras’, escrevem os diários do grupo Mediahuis.

Não obstante, diz El Bakraoui – cujo irmão Khalid se fez explodir no metro de Maelbeek – estes "ajudantes" não sabiam em que é que cooperavam.

Entre os "ajudantes" estaria Mohamed Bakkali, de 28 anos. Segundo a mensagem de Ibrahim, Bakkali não estava a par do objetivo final, algo que os investigadores belgas consideram improvável.

Bruxelas foi alvo de dois atentados bombistas, no aeroporto e na estação de metro de Maalbeck, a 22 de março, que vitimou mais de 30 pessoas e feriu 340. O ataque foi reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico mas Salah Abdeslam, que foi detido a 18 de março após quatro meses em fuga, disse não ter estado envolvido nos atentados