A Human Rights Watch afirmou esta segunda-feira num relatório que o FBI «encorajou, incitou e por vezes pagou» a muçulmanos norte-americanos para cometerem atentados, durante operações clandestinas planeadas após os ataques do 11 de setembro de 2001.

Em diversos dos mais de 500 casos de terrorismo julgados em tribunais dos Estados Unidos desde o 11 de setembro «o ministério americano da Justiça e o FBI visaram muçulmanos norte-americanos em abusivas operações clandestinas de contra-terrorismo, baseadas na pertença religiosa e étnica», afirma-se no relatório da HRW, que fornece numerosos exemplos.

A organização não governamental norte-americana, com a colaboração do Instituto de direitos humanos da Escola de direito da universidade de Colombia, analisou em particular 27 casos ¿ desde o inquérito ao processo, para além da ata de acusação e condições de detenção ¿, e entrevistou 215 pessoas, incluindo indicados e acusados, familiares próximos, advogados, juízes ou procuradores.