Wikileaks: Hugo Chávez tem dois anos de vida

E-mails intercetados relatam diagnósticos médicos

Por: Redação / PP    |   28 de Fevereiro de 2012 às 15:43
Hugo Chávez tem dois anos de vida, avança o jornal espanhol «El País» esta terça-feira. Na base da informação está um conjunto de emails divulgados pelo Wikileaks.

Os emails, agora tornados públicos, pertencem à empresa de segurança privada norte-americana, Stratfor Global Intelligence. Nos documentos, pode ler-se que os médicos russos e cubanos que atenderam o presidente venezuelano Hugo Chávez em Junho do ano passado, lhe deram entre um a dois anos de vida, antes de lhe retirarem um tumor.

Recorde-se que Hugo Chávez terá sido operado uma segunda vez, em Cuba, nos últimos dias. No entanto, ainda não há informações oficiais sobre o seu estado de saúde.

Nas missivas eletrónicas agora conhecidas, os médicos russos afirmam que os cubanos não têm o equipamento necessário para tratar o presidente venezuelano e, acrescentam, que a primeira cirurgia foi «incorreta». Por isso mesmo, a equipa de clínicos russos terá sido chamada para uma segunda intervenção e efetuar a remoção total do tumor.

A zona do corpo onde o cancro que atinge Chávez se situa, é outro dos temas abordado nos emails. Terá começado na próstata e estendendo-se para o cólon. Mais tarde propagou-se para os nódulos linfáticos, chegando à medula óssea.
PUB
EM BAIXO: Hugo Chávez aparece de cabeça rapada [Reuters]
Hugo Chávez aparece de cabeça rapada [Reuters]
COMENTÁRIOS

PUB
Corrupção leva polícia à FIFA

No total existem 14 mandados de captura emitidos pelo departamento de Justiça norte-americano, entre os quais se encontram nove responsáveis da FIFA que estão indiciados por suspeitas de corrupção, incluindo dois vice-presidentes. Há sete detidos, seis na Suíça e um em Miami, nos EUA. Operação de detenção foi levada a cabo pela polícia suíça, nas primeiras horas do dia, no luxuoso hotel Baur au Lac, nos Alpes, a pedido da Justiça dos EUA, que solicitou a sua extradição para que sejam julgados por corrupção. Buscas na sede da organização