logotipo tvi24

Venezuela de luto: «Chávez está vivo entre nós»

Cortejo fúnebre, desde o hospital militar, em Caracas, foi acompanhado por dezenas de milhares de venezuelanos que disseram um adeus emocionado

Por: Redacção / Margarida Martins/TVI    |   2013-03-07 00:21

Já está em câmara ardente o corpo de Hugo Chávez.

O caixão do líder venezuelano encontra-se na academia militar de Caracas até sexta-feira, dia do funeral.

O cortejo fúnebre, desde o hospital militar, foi acompanhado por dezenas de milhares de venezuelanos que disseram um adeus emocionado.

Sete horas demorou o cortejo ao longo de oito quilómetros. «Chávez está vivo entre nós», chorava o povo.

À frente do cortejo, o presidente interino, Nicolás Maduro e o amigo da venezuela revolucionária, o presidente da Bolívia, Evo Morales, seguiram a pé todo o percurso desde o hospital militar, onde Chávez morreu na tarde de terça-feira, até à academia militar, a mesma escola onde o presidente defunto ingressou aos 17 anos.

Aos 58 anos, Hugo Chávez não resistiu a um cancro.

Já no primeiro de sete dias de luto, o homem que liderou a Venezuela durante 14 anos é tratado como um herói por milhares e milhares de apoiantes.

Mesmo assim, foram muitos os que ficaram em casa, os que reprovavam a orientação ditatorial do «comandante».

Partilhar
FOTOGALERIA:
Milhares de pessoas no cortejo fúnebre de Hugo Chávez

Cortejo fúnebre de Hugo Chávez (Foto Lusa/EPA) EM CIMA: Cortejo fúnebre de Hugo Chávez (Foto Lusa/EPA)

O que aconteceu ao voo AH-5017? Cinco cenários possíveis
Um jornalista da SkyNews, especialista em defesa, enumera algumas das explicações mais plausíveis para o desaparecimento do avião operado pela Air Algerie
Sarah Palin apanhada em excesso de velocidade no Alasca
Quando foi apanhada, brincou que estava a qualificar-se para as corridas NASCAR
Noruega em estado de alerta sobre possível atentado
Os serviços de informação noruegueses foram informados de um possível «ataque terrorista» com origem na Síria
EM MANCHETE
Ricardo Salgado detido e constituído arguido
Ministério Público confirmou a detenção e envolvimento na operação Monte Branco. Em risco, a destruição de documentos. Ex-presidente do BES estaria a efetuar chamadas encriptadas
«Há mais informação relevante sobre o BES que não foi tornada pública»
TAP cancela 48 voos em quatro dias