logotipo tvi24

Venezuela de luto: «Chávez está vivo entre nós»

Cortejo fúnebre, desde o hospital militar, em Caracas, foi acompanhado por dezenas de milhares de venezuelanos que disseram um adeus emocionado

Por: Redacção / Margarida Martins/TVI    |   2013-03-07 00:21

Já está em câmara ardente o corpo de Hugo Chávez.

O caixão do líder venezuelano encontra-se na academia militar de Caracas até sexta-feira, dia do funeral.

O cortejo fúnebre, desde o hospital militar, foi acompanhado por dezenas de milhares de venezuelanos que disseram um adeus emocionado.

Sete horas demorou o cortejo ao longo de oito quilómetros. «Chávez está vivo entre nós», chorava o povo.

À frente do cortejo, o presidente interino, Nicolás Maduro e o amigo da venezuela revolucionária, o presidente da Bolívia, Evo Morales, seguiram a pé todo o percurso desde o hospital militar, onde Chávez morreu na tarde de terça-feira, até à academia militar, a mesma escola onde o presidente defunto ingressou aos 17 anos.

Aos 58 anos, Hugo Chávez não resistiu a um cancro.

Já no primeiro de sete dias de luto, o homem que liderou a Venezuela durante 14 anos é tratado como um herói por milhares e milhares de apoiantes.

Mesmo assim, foram muitos os que ficaram em casa, os que reprovavam a orientação ditatorial do «comandante».

Partilhar
FOTOGALERIA:
Milhares de pessoas no cortejo fúnebre de Hugo Chávez

Cortejo fúnebre de Hugo Chávez (Foto Lusa/EPA) EM CIMA: Cortejo fúnebre de Hugo Chávez (Foto Lusa/EPA)

Bebé morre fechado dentro de carro
O pai da criança esqueceu-se de deixar a criança com a ama antes de trocar de carro
Guarda ferido em assalto a embaixada portuguesa em Tripoli
Quatro homens armados entraram na representação diplomática cerca das duas da manhã
Rapaz de 14 anos acusado de violar menina
Apesar da idade, o jovem terá de responder em tribunal
EM MANCHETE
Sobrevivente português descreve tragédia
«Atirámo-nos à água e depois vimos que faltavam três homens», conta pescador
Homem que baleou quatro mulheres tem mais alvos
Guarda ferido em assalto a embaixada portuguesa em Tripoli