O primeiro-ministro timorense, Rui Maria Araújo, está internado no Hospital Nacional Guido Valadares, em Díli, para onde foi transportado depois de se sentir mal em casa, após uma viagem de fim de semana para fora de Díli, disse à agência Lusa fonte hospitalar.

A fonte, que se recusou a avançar mais informação, explicou apenas que Rui Araújo está sob observação, podendo ter de ser transferido para Darwin, no norte da Austrália, ou para Singapura, para mais tratamento.

Fonte familiar disse à Lusa que estão a estudar a possibilidade de que primeiro-ministro timorense seja transportado nas próximas horas.

A fonte hospitalar explicou que Rui Maria Araújo, que está acompanhado do ministro da Saúde, deu entrada na unidade hospitalar ao início da noite, hora local.

Não foi possível, até agora, à agência Lusa, contactar qualquer membro do gabinete do chefe de Governo nem membros do executivo.

Rui Araújo regressou este domingo a Díli, depois de uma visita com uma agenda intensa ao distrito de onde é natural, a região de Ainaro.

Médico de profissão, Rui Araújo foi transportado praticamente de imediato para o hospital, a principal infraestrutura de saúde de Timor-Leste, mas ainda assim bastante deficitária no que diz respeito a tratamento especializados.

Recorde-se que, anualmente, Timor-Leste gasta milhões de dólares a transportar cidadãos seus para tratamentos na Austrália, Indonésia ou Singapura.

Vários membros do Governo estão já nesta unidade hospitalar, entre eles o secretário de Estado do Conselho de Ministros, Avelino Coelho, e o ministro dos transportes, Gastão de Sousa.

Este último disse à Lusa que está a ser organizado o transporte aéreo do primeiro-ministro, escusando-se a especificar se seguirá para Darwin ou Singapura.

Fonte do corpo de segurança do primeiro-ministro disse, no entanto, à Lusa que parece haver dificuldade em conseguir que o voo chegue a Díli antes das 10:00 da manhã de segunda-feira, hora local, 01:00 de segunda-feira, em Lisboa.

Não está, igualmente, ainda claro quem substituirá interinamente o primeiro-ministro, durante a sua ausência.

No organograma do Governo, o ‘número dois’ do executivo é Agio Pereira, ministro de Estado e da Presidência do Conselho de Ministros.