Maria del Carmen Garcia matou o violador da filha. O crime ocorreu em 2005, em Alicante, Espanha. A mulher deu entrada, esta quinta-feira, na cadeia para cumprir pena, apesar do recurso apresentado pelo advogado de defesa que pedia a suspensão da pena, alegando «o grave problema psicológico» de que sofre Maria del Carmen.

Quando abandonou o tribunal para se dirigir à penitenciária onde vai cumprir pena, a mulher disse-se «bastante tranquila». «Já não posso mais. Acabou-se o meu calvário», confessou aos jornalistas.

De acordo com o jornal «El País», Maria del Carmen foi condenada em julho de 2009 a nove anos e meio de cadeia, em primeira instância. Um ano depois, o Supremo Tribunal de Justiça de Espanha reduziu a pena para cinco anos e meio, depois de lhe reconhecer problemas psicológicos transitórios. .

Maria del Carmen sofre de problemas emocionais desde 1998, altura em que a filha, então com 13 anos, foi violada. Na semana passada, o advogado de defesa pediu a suspensão da pena, alegado que a prisão pode ser «desestabilizadora» para a mulher. O tribunal recusou o recurso e ordenou o imediato cumprimento da pena.

De nada valeu também a nova petição de indulto assinada por mais de 20 organizações sociais, sindicais, políticas e profissionais apresentada há dois dias. Aconteceu o mesmo a esta petição que às várias apresentadas nos últimos meses.

O advogado de defesa garante que vai continuar a lutar para que a mulher seja colocada em liberdade.