Homens armados abateram a tiro um radialista no sul das Filipinas, naquele que é o segundo caso do género no intervalo de apenas uma semana, informou hoje a polícia.

O assassínio de Michael Diaz Milo, apresentador de um programa de rádio diário e diretor de programação da rádio DXFM, veio agravar a posição do país como um dos locais mais perigosos para jornalistas em todo o mundo.

A Comissão para a Proteção dos Jornalistas, com sede em Nova Iorque, coloca as Filipinas no terceiro pior lugar no seu «índice de impunidade» na lista de países que falham no combate à violência contra estes profissionais.