O rapto das mais de 200 mulheres na Nigéria junta, neste momento, em Paris, vários chefes de estado africanos. O Presidente francês já admitiu que «Boko Haram» é uma ameaça com ligações à Al-Qaeda.

O presidente francês, François Hollande, é o anfitrião da cimeira que tem como objectivo encontrar uma estratégia regional contra o movimento Boko Haram, um mês depois destes radicais islamitas terem sequestrado 223 raparigas entre os 16 e os 18 anos numa escola, no norte da Nigéria.

«Boko Haram é uma grande ameaça para toda a África Ocidental e África central e tem ligações comprovadas a AQMI ( a fação da Al-Qaeda no Magreb Islâmico) e outras organizações terroristas», afirmou Hollande.

François Hollande apelou à Nigéria e países vizinhos para adotarem um «plano global» contra o grupo islamita. «Deve ser posto em prática um plano global que permita trocar informações, coordenar ações, controlar fronteiras e agir de forma adequada», defendeu o presidente francês durante um almoço, no Palácio do Eliseu, com os seus homólogos da Nigéria, Camarões, Chade, Níger e Benim.

Boko Haram quer dizer «a educação ocidental é pecado» e é um grupo fundamentalista que espalha o terror ao serviço do seu maior objectivo: criar um estado islamita no norte da Nigéria.