Um general da Guarda Revolucionária do Irão foi morto, bem como pelo menos seis operacionais, na sequência de bombardeamento israelita nos montes Golã, do lado sírio.
 
Temendo retaliações, o exército israelita está agora com o nível de alerta elevado ativado depois de, no domingo, um helicóptero judaico ter disparado sobre uma coluna em movimento no lado sírio da fronteira com Israel.
 
O Hezbollah adianta que no ataque morreram um destacado líder operacional, o filho e também um importante comandante da milícia xiita libanesa que apoia às forças de Bashar al-assad há mais de um ano.
 
Está confirmada também a morte de um general iraniano da guarda revolucionária que viajava na coluna do Hezbollah.