O primeiro-ministro iraquiano, Haidar al Abadi, chegou domingo à tarde à cidade libertada de Mossul e felicitou os combatentes pela “grande vitória alcançada” perante os combatentes dos jiadistas do autoproclamado Estado Islâmico. 

O primeiro-ministro chegou à cidade libertada de Mossul e felicitou os heroicos combatentes e o povo iraquiano pela grande vitória alcançada”, lê-se num comentário publicado pelo gabinete de imprensa de Haidar al Abadi no canal Twitter.

A fotogaleria associada a este artigo mostra o sorriso na cara do primeiro-ministro e, também, da população, dos mais velhos aos mais novos. Muitos a erguerem bandeiras, com visível contentamento. Outros a abraçarem-se aos militares. 

A chegada do primeiro-ministro ocorre após vários responsáveis militares terem assegurado desde sábado que a vitória sobre o grupo jiadista estava iminente.

As forças do Serviço de Contra-Terrorismo içaram a bandeira iraquiana na margem do rio junto à Cidade Velha de Mossul”, noticiou a televisão Iraqiya News, já depois de os militares terem anunciado que 30 combatentes tinham sido mortos quando tentavam fugir ao cerco atirando-se ao rio Tigre.

Relatos da manhã de domingo dão conta que os combatentes do Daesh estariam concentrados em algumas centenas de metros, na zona antiga de Mossul, onde ainda ofereciam resistência.

Em declarações à agência noticiosa EFE, o comandante das Forças Antiterroristas iraquianas, Ali Awad, precisou que os radicais estão na zona de Al Midan, o seu último reduto na localidade do norte do Iraque, o principal bastião do Daesh.

Awad informou que os combates estão a ser muito violentos e que na zona permanecem centenas de famílias.