Vários investigadores em segurança informática chegaram à conclusão que os cigarros eletrónicos podem ser transformados em ferramentas com a capacidade de piratear computadores.

Numa apresentação no Security BSides London, um evento anual que se realiza em Londres, no Reino Unido, o investigador Ross Bevington explicou que os cigarros eletrónicos, sujeitos a pequenas modificações, podem ser usados por hackers para realizar ataques informáticos,   

De acordo com a Sky News, no evento, Bevington demonstrou como é que o cigarro eletrónico pode enganar o sistema do computador, fazendo-se passar, por exemplo, por um teclado. Mas para que este tipo de ataque seja possível, é necessário que o computador da vítima esteja desbloqueado.

Um outro hacker, e investigador conhecido como Fouroctets, apresentou um vídeo sobre o modo como o próprio computador portátil ficou desbloqueado, depois de lhe serem inseridos comandos arbitrários.

Depois de ligar o cigarro eletrónico ao computador, como se o fosse colocar a carregar, Fouroctets transformou o cigarro adicionando-lhe, para isso, um chip de hardware. Desta forma, quando ligado ao computador, o cigarro era reconhecido como sendo um rato ou um teclado. O cigarro eletrónico conseguiu, desta forma, guardar um script, uma linguagem de programação.

O problema destas ferramentas é terem pouca memória. Ross Bevington explicou à Sky News que a falta de espaço “coloca limitações” na elaboração de um ataque informático.

Para prevenir estes ataques informáticos, os utilizadores devem garantir que têm feitas no computador todas as atualizações de segurança.

Ross Bevington recomendou que se “deve investir nalgum tipo de solução de monitorização que possa alertar as equipas de segurança” quando ocorrem estes ataques.