A grave epidemia de febre hemorrágica Ébola na África ocidental vai prolongar-se por «vários meses», declarou, esta quinta-feira, o subdiretor-geral para a Segurança Sanitária da Organização Mundial de Saúde (OMS).

É «impossível saber claramente» até onde irá a epidemia, mas «penso que teremos de lidar com esta epidemia durante vários meses», afirmou Keiji Fukuda, no final de uma cimeira de urgência em Acra, onde estiveram presentes os responsáveis da Saúde de 11 países africanos para debater as medidas de emergência a adotar para lutar contra a epidemia.

A OMS e os países presentes - Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Gâmbia, Gana, Guiné-Conacri, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Senegal, Serra Leoa e Uganda - pediram à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) apoio político e diplomático contra a doença.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou, num relatório publicado esta terça-feira, que a epidemia causada pelo vírus do Ebola já registou 759 casos de pessoas infetadas e causou a morte a 467 pessoas, desde o surto que começou em Março na Guiné, Libéria e Serra Leoa.