O Governo britânico prometeu hoje 1,74 mil milhões de dólares (1,5 mil milhões de euros) de ajuda adicional até 2020 para as vítimas do conflito na Síria.

“Precisamos de mais dinheiro para resolver a crise e precisamos dele agora”, referiu, em comunicado, o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

Esta promessa de donativo constitui “um suplemento de 1,74 mil milhões de dólares para serem gastos entre 2016 e 2020”, refere o chefe do executivo britânico.

Vários líderes mundiais reúnem-se hoje em Londres numa conferência de dadores que vai tentar obter nove mil milhões de dólares de ajuda para os 18 milhões de sírios afetados pela guerra, bem como tentar travar a crise de refugiados.

O conflito na Síria já forçou 4,6 milhões de pessoas a procurar refúgio em países vizinhos (Jordânia, Líbano, Turquia, Iraque e Egito), enquanto centenas de milhares fugiram para a Europa.

Esta quarta-feira a ONU suspendeu as negociações de paz para a Síria. Uma medida que se vai prolongar até 25 de fevereiro, segundo a BBC.

Segundo o enviado especial da ONU a Genebra, Staffan de Mistura, trata-se de uma suspensão temporária por falta de progresso na primeira semana e surge depois de o governo sírio afirmar que quebrou o cerco de duas cidades a nordeste de Aleppo.