À chegada ao Conselho Europeu de emergência, esta terça-feira, depois de um Eurogrupo ainda sem novas propostas gregas, Angela Merkel constatou que "ainda não há nenhuma base para as negociações". 

Aos microfones dos jornalistas, a chanceler alemã quis deixar a mensagem clara de que o tempo é muito curto. 

"Não é uma questão de semanas, é uma questão de dias"


Reforçou, também, o seu discurso dos últimos dias, ao dizer que "sem solidariedade e sem reformas não podemos entrar neste caminho". Terão de andar de mãos dadas.

Merkel antecipou, ainda, que não haverá qualquer cenário conclusivo esta noite.  Antes do Conselho Europeu, a chanceler, o presidente da Comissão Europeia, o presidente francês e Alexis Tsipras reuniram-se com os seus assessores:
 
François Hollande também falou à chegada, defendendo que a Europa deve "dar provas de responsabilidade, solidariedade e rapidez".

Renovou igualmente o apelo a Atenas para apresentar "propostas sérias e credíveis" à Grécia, com "uma visão para os próximos meses e para o médio prazo". 

O presidente do Eurogrupo também abriu a porta a esse programa de ajuda de médio prazo, por uma questão de credibilidade e porque a Grécia precisa de "reformas profundas".