Um golfinho bebé que deu à costa na praia de Santa Teresita, em Buenos Aires, na Argentina, acabou por morrer depois de ter sido tirado da água por banhistas para tirar selfies. Em vez de o devolverem à água ou chamarem ajuda, a pequena multidão de turistas pegou no animal e passou-o de mão em mão, enquanto tiravam fotografias.

De acordo com Hernan Coria, um turista que colocou várias imagens no Facebook, era o Segundo golfinho que dava à costa nesse dia. “Uma lástima. Não acredito que sobrevivam”, escreveu na legenda das fotografias.

 

Segundo delfín que aparece en el día en Santa Teresita una lastima no creo que vivan 󾌣

Publicado por Hernan Coria em Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2016

 

As imagens mostram o golfinho rodeado de pessoas. O post, datado do último dia 10 de fevereiro, mereceu vários comentários de reprovação. Um internauta escreve mesmo: “o homem gordo que segura o animal devia ser identificado e preso. Gostava de saber como ele se sentiria se alguém agarrasse na sua filha e desfilasse com ela pela praia até ela ficar ferida e depois a abandonasse para morrer. Que monte de m****.”

De acordo com o Independent, as imagens levaram já a Fundação para a Vida Selvagem da Argentina a lançar um apelo e a usar as fotografias para alertar para a vulnerabilidade destes animais.

A fundação alerta que estes golfinhos, “tal como outras espécies, não podem permanecer muito tempo fora de água. Têm uma camada de gordura na pele que os faz aquecer com muita rapidez. O tempo quente vai fazer com que desidratem e morram”.

“Pelo menos um dos animais morreu. O incidente obriga-nos a informar o público que é urgente devolver estes animais à água quando os encontrarem na orla. É vital para os ajudar a salvar”, acrescenta a fundação no site.

No Twitter, a organização é ainda mais direta: “Não tires fotos. Devolve-o à água”.

No le saques fotos. Ayudalo a volver al agua Estas situaciones pueden llevar a su muerte https://t.co/TUDboTBzdZ pic.twitter.com/feZMG4oFCJ

A fundação acrescenta que os golfinhos franciscanos são uma das espécies de golfinhos mais pequenas e mais raras. É considerada “vulnerável à extinção”. Acredita-se que não haja mais de 30 mil exemplares em ambiente selvagem.