Um menino de dois anos foi retirado aos pais depois de ser encontrado em casa envolvido numa nuvem de fumo de tabaco, no Reino Unido. O caso foi levado ao Tribunal de Família na segunda-feira, pelos assistentes da Segurança Social.

À juíza Louise Pemberton, a assistente social Julie Allen disse que, em dez anos de carreira, nunca tinha visto tanto fumo dentro de uma casa. Disse ainda que quando entrou na casa viu o menino a dormir no sofá ao lado do pai, que estava a fumar. 

Julie contou que a sala de estar tinha “tanto fumo entranhado que tinha dificuldade em respirar”. Para além da “visível nuvem de fumo”, a Segurança Social identificou utensílios associados ao consumo de droga.

A criança, que já utilizava um inalador para a ajudar a respirar, esteve doente e com diarreia durante quatro semanas devido à falta de higiene da casa. Julie descreveu o local como “sujo, mal cheiroso e sem higiene”.

A juíza decidiu que o menino deve ser colocado numa associação para adoção. A magistrada diz que a grande preocupação é a violência doméstica a que o bebé poderia estar exposto e a falta de supervisão e cuidados alimentares.
 

“Adoção é, na realidade, a única opção válida. Na minha opinião, nada mais vai acontecer."


No início do julgamento, os progenitores negaram fumar em casa, embora tenham admitido depois que o faziam em algumas ocasiões. O pai recebe tratamento psicológico desde outubro, altura em que lhe foi detetada cocaína no organismo. A mãe disse que “às vezes a casa estava desorganizada, mas nunca perigosa”.
 

“Eu quero que o menino saiba que, na minha opinião, os pais o amam e tentaram de tudo, mas simplesmente não são capazes de reconhecer as necessidades dele", concluiu a juíza.