A televisão francesa TF1 divulgou um registo áudio da alegada conversa entre a polícia e a mulher suicida de Saint-Denis, que se fez explodir no decorrer do cerco desta quarta-feira ao mentor dos atentados de Paris de dia 13, em que morreram 129 pessoas.
 
No som registado por um morador, a polícia questiona a mulher sobre o paradeiro do seu companheiro e na resposta ouve apenas um repetido “ele não é meu companheiro”. Segue-se uma intensa troca de tiros e o som de eventual uma explosão.

 

Segundo a TF1, a mulher é prima de Abdelhamid Abaaoud, o cérebro dos atentados, tem 26 anos, chama-se Hasna A. e tem cidadania francesa. Vivia em Saint-Denis desde 2012.
 
Uma ligação familiar que também a agência Reuters dá conta, tendo por base fonte ligada à investigação.
 
De acordo com a TF1, Hasna teria uma chamada telefónica em mãos antes de acionar o cinto de explosivos.
 
“A mulher foi vista a passar um telefone”, disse fonte ligada à investigação à televisão francesa.
 
A investigação apura, ainda, a eventualidade de haver um terceiro corpo no apartamento, na sequência da operação policial, que culminou com duas mortes e oito detenções, além de cinco polícias e um cão-polícia feridos.

Em conferência de imprensa nesta tarde, o procurador de Paris  não confirmou a identidade dos dois suspeitos que morreram no decorrer da operação policial em Saint-Denis ou a possibilidade de haver mais mortes, admitindo, porém, que segundo a investigação uma mulher se teria feito explodir. François Molins assegurou, contudo, Abdelhamid Abaaoud e Salah Abdeslam não se encontram entre os oito detidos.