O Parlamento Europeu anunciou na segunda-feira ter remetido para o organismo antifraude da União Europeia (OLAF) alegadas irregularidades financeiras cometidas pela Frente Nacional relativas a salários pagos a assistentes de eurodeputados.

«O Presidente Martin Schulz remeteu segunda-feira para o Serviço Europeu de Luta Antifraude eventuais irregularidades financeiras cometidas pelo partido francês Frente Nacional», refere o Parlamento Europeu em comunicado.

Segundo o comunicado, a administração do Parlamento Europeu verificou a presença de 20 assistentes da FN em cargos oficiais, pagos pela instituição, quando se suspeita de que não desenvolveram qualquer trabalho de âmbito europeu.

Uma fonte parlamentar confirmou à agência noticiosa AFP que o prejuízo para o Parlamento Europeu é de 7,5 milhões de euros.

As suspeitas recaem sobre 20 assistentes de deputados europeus que aparecem no organigrama da Frente Nacional e parecem ter responsabilidades políticas no partido.

«Ainda segundo o organigrama, certos assistentes não trabalham para o deputado a que estão vinculados por um contrato de trabalho», insiste o parlamento.

«Não é ao parlamento que cabe tirar conclusões, é ao organismo que cabe pronunciar-se», disse Jaume Duch, o porta-voz do parlamento europeu.

A Frente Nacional, liderada por Marine Le Pen, venceu as eleições europeias em França com 26 por cento dos votos e lidera as sondagens para as presidenciais.