A líder da Frente Nacional e candidata presidencial, Marine Le Pen, afirmou que a França devia impor de imediato o controlo nas fronteiras e expulsar os estrangeiros que estão referenciados pelos serviços secretos.

AO MINUTO: ataque contra polícias em Paris

As palavras de Le Pen surgem como reação ao ataque que ocorreu na quinta-feira nos Campos Elísios, em Paris, e que foi reivindicado pelo Estado Islâmico. Um atirador matou um polícia e feriu outros dois nos Campos Elísios, uma das avenidas principais da capital francesa. 

A líder da extrema-direita francesa, que tem feito uma campanha contra a União Europeia e anti-imigração, apelou ao governo socialista para introduzir estas medidas de forma imediata.

Entretanto, o atirador já foi identificado. Sabe-se que tinha 39 anos, vivia nos subúrbios de Paris e estava referenciado pelos serviços secretos. No entanto, as autoridades decidiram que o seu nome não será revelado até que a investigação determine se tinha cúmplices. 

Um segundo suspeito de envolvimento no ataque entregou-se à polícia em Amberes, na Bélgica, segundo indicou o Ministério do Interior francês.

O Estado Islâmico reivindicou o ataque, afirmando que um dos seus "soldados" foi o autor do atentado. O grupo extremista identificou o homem como Abu Yousif al-Belgiki, que significa "O belga" em árabe. 

O ministro do Interior belga, Jan Jambon, adiantou à televisão VRT que o atirador era um cidadão francês, contrariando as informações da imprensa que davam conta que o atacante poderia ser belga.