Jean-Marie Le Pen recorreu ao tribunal para contestar ter sido suspenso da Frente Nacional. A resposta da justiça francesa está marcada para o dia 2 de julho.

Le Pen nunca se conformou com a decisão de ser afastado do partido de extrema-direita por ele fundado. Na origem da expulsão, as suas declarações sobre o holocausto nazi que considera um "pormenor" da história.

Incomodada com estes comentários, a atual líder, Marine Le Pen, não só suspendeu o pai como se empenhou em suprimir o título de presidente honorário que le está atribuído.

Desde então, Jean-Marie Le Pen tem demonstrado vergonha da filha e denuncia a mudança de orientação do partido:

"Havia um pretexto, o pretexto de se desembaraçar de Jean-Marie Le Pen e do que ele representa, quer dizer, da linha política dos princípios fundamentais da Frente Nacional tal como foram defendidos durante mais de 40 anos. Há uma viragem política, à esquerda, parece."