O presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, rejeitou, na quarta-feira, um pedido de conversações apresentado por diplomatas russos, que se opõem à intervenção militar na Síria.

Em comunicado, o porta-voz do presidente da Câmara dos Representantes, Michael Steel, indicou que Boehner «rejeitou o pedido da embaixada russa de reunir-se com uma delegação» do Congresso.

A missão, que os russos propunham que tivesse lugar na próxima semana, deveria contar, a pedido de Moscovo, com vários deputados russos que iriam explicar a sua posição que é contrária a uma intervenção militar na Síria.

Já o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, afirmou esta quinta-feira que, sem uma intervenção militar contra o regime sírio de Bachar al-Assad, não haverá uma negociação política para resolver o conflito na Síria.

Em entrevista à cadeia de televisão France 2, o governante rejeitou uma participação de Assad em eventuais negociações, apesar de garantir que a saída do Presidente sírio do poder «não é o objetivo da sanção».

Laurent Fabius defendeu uma «sanção proporcionada pela utilização de armas químicas» ao salientar que o «massacre químico de Damasco está provado».