Dois jovens suspeitos de estarem envolvidos no tiroteio que ocorreu no dia 9 de fevereiro, com disparos de Kalashnikov, na cidade francesa de Marselha, poucas horas antes de uma visita do primeiro-ministro Manuel Valls, foram presos no domingo em Saint-Denis. A informação é avançada pelo jornal «Le Figaro», que cita uma fonte policial.
 
Os dois suspeitos, de 25 anos, são conhecidos da polícia por tráfico de droga e deverão ser transferidos esta segunda-feira à tarde para Marselha, refere uma reportagem do jornal «La Provence».
   
O diretor da polícia de Marselha foi alvo de vários disparos com arma automática na manhã de 9 de fevereiro, no bairro de La Castellane, num tiroteio relacionado com um ajuste de contas entre grupos rivais. Dois grupos, de cinco a dez pessoas, envolveram-se em confrontos por disputarem um ponto de venda de drogas. O veículo onde se encontrava o chefe da polícia terá escapado por escassos metros aos disparos dos agressores, que abriram fogo à chegada dos agentes.
 
O tiroteio aconteceu no mesmo dia em que Manuel Valls, o primeiro-ministro francês, se deslocou a Marselha para fazer um balanço das medidas tomadas há dois anos, que tinham como objetivo criar zonas prioritárias de segurança para evitar os ajustes de contas entre grupos rivais nos bairros de Marselha.

O tráfico de cocaína e canábis em Marselha chega a render somas superiores a 100 mil euros mensais. La Castellane é um bairro problemático de Marselha, que tem registado elevados níveis de criminalidade nos últimos anos.