A atual diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, foi acusada formalmente esta quarta-feira pela justiça francesa num processo de alegada corrupção, já conhecido como «caso Tapie».

Lagarde, ex-ministra das Finanças de França, é suspeita de «negligência» na fraude do célebre empresário Bernard Tapie, que já envolveu várias figuras da presidência de Nicolas Sarkozy.

Tudo o que precisa saber sobre o «caso Tapie»

Christine Lagarde vai recorrer da decisão e fonte próxima, citada pela Reuters, garante que não vai demitir-se do FMI.

FMI não comenta investigação à presidente Lagarde

Irregularidades na venda da Adidas ao Crédit Lyonnais, instituição bancária então controlada pelo Estado, renderam a Tapie, em 2008, uma indemnização recorde de 390 milhões de euros, depois de 12 anos de sucessivas batalhas legais.

A dimensão da verba foi contestada por setores da oposição, que a consideraram uma retribuição pelo apoio à candidatura de Sarkozy à presidência, um ano antes. É este processo na mira das autoridades, em especial o papel nele desempenhado por Christine Lagarde, que enquanto ministra das Finanças entendeu não recorrer da decisão do tribunal.