É sobretudo uma história de amor entre pais e filhos. Um amor que só foi vivido numas escassas oito horas: o tempo que Grayson James Walker viveu. O bebé nasceu com malformações fatais. Os pais sabiam da anencefalia (uma malformação rara do tubo neural, caracterizada pela ausência parcial do encéfalo e da calota craniana) e sabiam que a criança iria viver pouco tempo. Uma razão que não os impediu de tornar as poucas horas de vida nas mais felizes.

Os pais, norte-americanos, decidiram então contratar um fotógrafo profissional e publicaram as imagens no Facebook , como forma de mostrar ao mundo o amor pelo seu filho. O Facebook não gostou da veracidade de algumas das imagens, pelo menos uma, e acabou por retira-las.

A atitude valeu uma onda de protesto pelos centenas de utilizadores que, comovidos pelas imagens e coragem dos pais, partilharam os momentos.

«Depois de uma investifgação concluimos que as fotos não violam nenhuma das regras e a sua remoção foi um erro», disse a rede social em comunicado.

A mãe da criança chegou a ser banida da rede e contestou.

«Eles permitem a publicação de fotos de gente quase nua e eu não posso publicar uma imagem de uma linda criatura de Deus», disse.

O Facebook adiantou que entre 300 milhões de fotos publicadas todos os dias é possível que ocorram alguns erros e lamentou «profundamente» a perda e o erro.