Pelo menos 29 pessoas, a maioria bombeiros, ficaram feridos e 26 casas destruídas nos incêndios que afetam o sul da Austrália e que já arrasaram 12.500 hectares de terrenos, revelaram hoje fontes oficiais.

O chefe de Governo da Austrália do Sul, Jay Weatherill, revelou à imprensa que a maioria das vítimas registou apenas ferimentos ligeiros, ainda que uma pessoa tenha sido hospitalizada.

Jay Weatherill acrescentou que os incêndios florestais alargaram-se a um perímetro de 238 quilómetros, continuam ativos e representam “um forte e claro perigo”.

Os bombeiros calculam que as chamas, que apresentam um comportamento errático, irão continuar ativas nas próximas duas a três semanas.

Mais de 700 bombeiros trabalham intensivamente na proteção de mais de mil casas face ao aumento do calor e quando são esperadas temperaturas de 38 graus na terça-feira e tempestades na quarta.

Por outro lado, outros incêndios florestais afetam também o estado de Vitória, onde a descida das temperaturas ajuda hoje os bombeiros a conter a chamas.

Na Austrália Ocidental, as autoridades prepararam-se para enfrentar também as chamas quando os termómetros marcam hoje 37 graus e devem subir até aos 41 na terça-feira.

As altas temperaturas no verão australiano têm contribuido nos últimos anos para um aumento dos incêndios, uma situação que os cientistas vinculam parcialmente com aquecimento global derivado das alterações climáticas.