Quem quer fugir do furacão Irma tem-se deparado com preços de voos exorbitantes. O rasto de destruição e morte causado pela maior tempestade de sempre a assolar o Atlântico é já mais do que visível, mas há quem queira tirar proveitos económicos. Ainda assim, não são todas as companhias aéreas. Algumas, como a Jt Blue e a American Airlines, puseram um travão nos valores que cobram.

Já outras, como a United, chegam a pedir mais de 6.700 dólares (qualquer coisa como 5.600 euros), por um voo entre Miami e Denver. 

Há outros casos de voos entre Miami e Phoenix, por exemplo, a custar cerca de 3.000 dólares. Os voos domésticos normalmente não custam mais do que algumas centenas de dólares. 

Já a Jet Blues, a American Airlines e Delta Airlines decidiram limitar os preços nos voos das regiões afetadas pelo furacão - ou que se prevê que sejam, até 13 de setembro, a próxima quarta-feira. As duas primeiras companhias já tiveram disponíveis voos entre 99 e 550 dólares, mais ou menos.

Ontem, a JetBlue disponibilizou voos diretos com partida da Flórida até 13 de setembro, a 99 dólares. 

A American Airlines fez o mesmo em ligações diretas para bilhetes vendidos até 10 de setembro, sendo as viagens a realizar até dia 13. Esta companhias já anunciou vai encerrar as suas operações na Flórida, incluindo Miami, na sexta-feira à noite, por causa do furacão. O último voo deverá descolar a meio da tarde, com destino a Dallas.

Turistas portugueses também encontram dificuldades

Está a ser complicado para todos os residentes e turistas conseguir fugir a tempo do furacão. O jornalista da TVI Emanuel Monteiro, que está de férias em Miami, relatou as dificuldades que está a atravessar, ao telefone com a estação: 

Não há, de todo, voos antes de terça-feira. Os turistas que não conseguiram reservar voos para regressar a Portugal vão ter de ficar. Para além das possibilidades remotas para fazer um voo, que inclui três a quatro escalas, custar até 4.000 euros para regressar à Europa, neste momento a TAP não tem nenhum voo disponível até sábado, dia em que as coisas vão começar a piorar significativamente aqui".

Para amanhã, sexta-feira, não há voos diretos entre Miami e Lisboa. Só com escalas, pelo que consta nas páginas que comparam preços das companhias: a custar, no mínimo, cerca de 1.500 euros até mais de 3.000 €. Para sábado, 9 de setembro, surge um voo da TAP entre Miami e Lisboa, a cerca de 600 euros.

O voo que saiu de Portugal na quarta-feira com destino a Punta Cana, na República Dominicana, uma das ilhas afetadas, seguiu apenas com 25 portugueses, dos 400 turistas que tinham efetuado a reserva. O presidente da associação das agências de Viagens, Pedro Costa Ferreira, indicou à Lus que houve, assim, 375 cancelamentos.

O Governo está a acompanhar a situação dos portugueses que estão nas ilhas por onde o furacão Irma está a passar. Na República Dominicana, por exemplo, estão centenas de turistas portugueses.

quase 2.000 a passar férias nas Caraíbas. Na ilha de São Bartolomeu, que perdeu as comunicações à passagem da tempestade, há 250 portugueses domiciliados. O secretário de estado das Comunidades alerta para que todos sigam as orientações das autoridades locais

Os voos de última hora já costumam sair bem mais caro aos passageiros, mas o facto de centenas de pessoas quererem fugir fez com que os preços disparassem. 

As Nações Unidas estimaram que cerca de 37 milhões de pessoas sejam afetadas por este furacão de categoria máxima, 5.

Veja também: