As autoridades turcas detiveram um sobrinho de Fethullah Gülen, exilado político nos Estados Unidos que Ancara acusa de ser o mentor do golpe de Estado falhado de 15 de julho, divulgou a agência noticiosa pro governamental.

Muhammet Sait Gülen foi detido em Erzurum, no nordeste do país, no âmbito do inquérito sobre a tentativa de golge de Estado, ocorrida na noite de 15 de julho, indica a Anadolu, sem acrescentar pormenores.

É a primeira vez que um familiar de Fethullah Gülen é relacionado com o golpe de Estado.

Entretanto, as forças de segurança turcas prenderam também Hails Hanci, um colaborador de Fethullah Gülen, exilado político nos EUA que Ancara acusa de ser o mentor do golpe de Estado falhado de 15 de julho, anunciou um responsável oficial.

As forças de segurança do país prenderam Hails Hanci na província de Trabzon, no norte da Turquia, junto ao Mar Negro, que classificou o colaborador de "braço direito" de Gülen.

A somar a estas notícias, a informação também de que as autoridades da Turquia vão dissolver a guarda presidencial de elite após a detenção de quase 300 dos seus membros. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, Binali Yildirim.

“Não será mais uma guarda presidencial, não existe um propósito, não há necessidade”, disse Binali Yildirim, numa entrevista ao canal A Haber.

A guarda presidencial é um regimento com cerca de 2.500 elementos, dos quais pelo menos 283 foram detidos após o golpe.

Milhares de funcionários do Estado já foram afastados ou detidos nos últimos dias.