Pelo menos 18 pessoas ficaram feridas esta terça-feira no sudeste do Irão após um forte sismo de magnitude 6,2 na escala de Richter, que causou poucos danos, de acordo com o Centro Sismológico da Universidade de Teerão.

O sismo ocorreu às 12:13 hora local (08:43 em Lisboa), na província de Kerman.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) divulgou que o terramoto atingiu uma magnitude de 5,9 na escala de Richter.

A província de Kerman já havia sido atingida no dia 01 de dezembro deste anos por um terramoto de magnitude 6,0 na escala de Richter, que não deixou vítimas.

Dezoito pessoas ficaram feridas devido ao sismo, que destruiu casas antigas em algumas aldeias, noticiou a agência de notícias oficial iraniana Irna.

O epicentro do terramoto foi localizado em Hejdak, que fica à beira do grande deserto de Kavir-e Lut.

Hejdak está localizada a cerca de cinquenta quilómetros ao norte de Kerman, a capital provincial, e a cerca de 800 quilómetros a sudeste de Teerão, a capital.

O terramoto foi seguido por nove réplicas com magnitudes entre 2,8 e 4,2 na escala de Richter num espaço de 70 minutos, de acordo com a Universidade de Teerão.

Outro tremor com magnitude de 6,0 na escala de Richter ocorreu esta terça-feira no norte de Kerman, às 21:41 de Lisboa, informou o USGS.

Localizado entre várias placas tectônicas e atravessado por falhas, o Irão é uma área de forte atividade sísmica.

Na segunda-feira à noite, um terramoto de magnitude 6,0 na escala de Richter, de acordo com a Universidade de Teerão (5,4 de acordo com o USGS) foi sentida na região de Kermanshah (oeste do Irão), mas sem deixar vítimas.

No dia 12 de novembro, na fronteira com o Iraque, o país foi sacudido por um sismo de magnitude de 7,3 graus na escala de Richter, que deixou 620 mortos e mais de 12 mil feridos no Irão. O terramoto também matou oito pessoas no Iraque.