A piloto militar ucraniana detida na Rússia, Nadia Savchenko, corre risco de vida devido à greve de fome que começou há quase três meses, avisou a chefe da diplomacia da União Europeia.

«Nadia Savchenko está em greve de fome há 82 dias. Após este prolongado período de tempo, enfrenta danos permanentes na sua saúde ou mesmo a morte», afirmou, em comunicado, Federica Mogherini.

«Mais uma vez, junto a minha voz à de todos aqueles que têm apelado às autoridades russas para libertarem urgentemente e por razões humanitárias Nadia Savchenko», acrescenta no documento.

Segundo Federica Mogherini, um tribunal de Moscovo rejeitou hoje outro apelo da piloto, de 33 anos, contra a sua detenção.

A mulher piloto iniciou uma greve de fome em protesto contra a sua detenção o ano passado por alegado envolvimento num ataque em que morreram dois jornalistas russos na fronteira com a Ucrânia.

Desde que iniciou a greve de fome, Nadia Savchenko já perdeu 20 quilos.

O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, pediu também hoje ao seu homólogo russo para libertar a piloto.