Os reféns decapitados pelo Estado Islâmico que têm surgido em vídeo apresentam uma característica comum. Todos vestem um fato de macaco cor de laranja, idêntico àqueles que os prisioneiros da cadeia americana de Guantanamo vestem.


 
Um oficial dos Estados Unidos, Brian McKeon, reconheceu esta quinta-feira que «não se trata de uma coincidência», porque «as fardas ennnvergadas» pelos reféns japoneses e jordano são «vistas como um símbolo das detenções americanas em Guantanamo», como cita a Reuters.


 
O oficial dos serviços de Defesa entende que esta atitude dos jihadistas serve para os «terroristas incitarem a revolta nas populações locais» contra a rpisão de Guantanamo.
 
O centro de detenção é há muito um local controverso. Depois do histórico reatar de relações entre os Estados Unidos e Cuba, Na quarta-feira, a administração Obama veio afirmar, ao contrário daquilo que o líder cubano tinha dito, que Guantanamo não estava em cima da mesa das negociações bilaterais que já permitiram o levantar de vários embargos.