O marido de Farzana Parveen, a paquistanesa que foi apedrejada até à morte por insistir em casar por amor, diz que matou a primeira mulher para poder casar com esta. A confissão foi feita em declarações à CNN.

«Queria propor namoro à Farzana. Por isso matei a minha mulher», disse Mohammad Iqbal.

A mulher de Mohammad Iqbal morreu há seis anos, avança a CNN, que cita a polícia. Terá sido o filho de Mohammad a informar as autoridades sobre o crime de há seis anos. De acordo com o filho (agora com cerca de 20 anos), Mohammad esteve um ano preso.

Marido de mulher apedrejada até à morte critica o laxismo da polícia

Farzana Parveen, que estava grávida de três meses, foi morta à pedrada, na terça-feira, em Lahore, no Paquistão, por um grupo de 20 pessoas, incluindo o pai, os irmãos e um primo.

A polícia já prendeu o pai de Fazana e procura os outros implicados no apedrejamento.