Allan George Matthews, de 57 anos, foi acusado pelo tribunal de Port Macquarie, em Nova Gales do Sul, na Austrália, depois de ser detido no último mês. O falso cirurgião admitiu ter removido o testículo esquerdo a um paciente que não podia pagar uma cirurgia num hospital. A polícia foi informada sobre o caso, depois da vítima procurar um hospital, após uma semana, para tratar as lesões sofridas durante a “cirurgia”. 

De acordo com a acusação, tudo aconteceu a 16 de maio, num motel de Port Macquaire. David Hiller, a vítima, publicou um anúncio na internet a pedir ajuda para um procedimento médico, alegando não poder pagar por um serviço profissional. O paciente dizia sofrer de dores contínuas desde que foi atingido por um coice de um cavalo.

Matthews respondeu ao anúncio do paciente de 52 anos e combinou um encontro no motel, onde a cirurgia foi efetuada. O ministério público australiano advoga que Matthews não é qualificado ou autorizado para realizar tal procedimento, não tendo qualquer diploma académico de médico.

No decorrer da investigação, as autoridades efetuaram buscas na casa de Matthews e encontraram armas de fogo, equipamentos médicos e medicamentos restritos a receita médica. Em tribunal, o arguido declarou-se culpado dos crimes de posse ilegal de armas e substâncias restritas à comercialização sem receita médica, bem como da remoção de um tecido corporal sem a autorização do paciente.

O julgamento final terá lugar em agosto. Até agora, o arguido distancia-se da acusação de “lesões corporais graves”.