Miata Phelan, de 24 anos e grávida de sete meses esfaqueou o namorado e pai do bebé, num ato de fúria, por este não lhe comprado uma prenda do centro comercial. O caso aconteceu em Chicago, nos Estados Unidos, escreve o «New York Daily News».

Larry Martin, de 28 anos, foi assassinado no passado dia 30 de abril, dentro do apartamento do casal, alegadamente por não ter comprado uma prenda à namorada, grávida, numa ida ao centro Comercial da zona. «Isto é o que acontece por brincares comigo. Espero que morras», terá Miata afirmado ainda sob o corpo do pai do seu filho.

Numa ida a uma superfície comercial com a família, incluindo a namorada, Larry comprou uma prenda para o seu filho de oito anos, chamado Lavelle, e uma prenda para um primo seu, com 25 anos, mas não para a namorada.

No caminho para casa começaram os problemas. Miata acusou Larry de ser «egoísta» e começou a atacá-lo. Quase provocou um acidente. O homem acabou por encostar o carro e foi «expulso» pela namorada. Esta também mandou sair o filho de Larry e o primo e seguiu sozinha no carro, escreve o mesmo jornal.

Quando, finalmente, chegaram a casa, não foram autorizados a entrar. Larry Martin bateu à porta e implorou para que o deixasse entrar. Quando Miata abriu a porta, atacou o namorado com uma faca, à frente do seu filho de oito anos.

Em declarações ao «Sun Times», o menor explicou que as últimas palavras do pai foram para si: «Eu vou morrer, mas amo-te».

O primo ainda tentou auxiliar Larry, fazendo pressão na ferida, mas este acabou por sucumbir à facada.

Miata Phelan foi detida e acusada de homicídio em primeiro grau. Uma juíza determinou uma fiança de um milhão de dólares. A irmã da homicida já veio publicamente acusar Larry de ser agressivo e mal tratar Miata.