As autoridades indianas resgataram 56 menores, 26 dos quais com menos de 14 anos, que eram explorados em fábricas ilegais de bijuteria no sudeste da Índia, disse à Efe uma fonte policial.

Os menores foram encontrados durante várias rusgas da polícia na terça-feira na parte velha da cidade de Hyderabad, onde trabalhavam em “salas escuras, enquanto eram expostos a químicos tóxicos e perigosos", explicou o subcomissário V. Satyanarayana, que disse que alguns deles apresentavam erupções cutâneas e outros problemas de pele.

"Trabalhavam em condições desumanas”, afirmou o subcomissário, que indicou que os menores faziam pulseiras durante 12 a 14 horas por dia, trabalho que era pago com um salário de 2.000 rupias por mês (cerca de 30 dólares).

Além disso, segundo a fonte, os menores passavam longos períodos sem verem a luz natural e não tinham uma alimentação saudável.

Cinco pessoas foram detidas durante as operações policiais em três fábricas.