O Papa Francisco elogiou uma convenção de exorcistas, de acordo com o grupo, que já avisou que a «batalha contra o mal e o diabo» se está tornar uma «emergência». Cerca de 250 membros da Associação Internacional de Exorcistas, vindos de mais de 30 países, reuniram-se num congresso em Roma na semana passada, para discutir o que consideram ser questões prementes, incluindo o satanismo e o ocultismo.

Valter Cascioli, psiquiatra e porta-voz da organização, disse à Rádio Vaticano que o Sumo Pontífice elogiou os exorcistas para provar que a Igreja Católica «acolhe os que sofrem de trabalho do Diabo», ajudando os que estão aparentemente possuídos. Mas Cascioli também sugeriu que a luta da Associação está longe de terminar, advertindo os ouvintes da Rádio Vaticano contra um suposto «aumento extraordinário de atividade demoníaca».

A tentação de tomar parte na «atividade demoníaca ordinária» representa mais uma ameaça, acrescentou Cascioli, o que deixa as pessoas vulneráveis ​​a maiores ataques de Satanás. E nas sociedades onde as pessoas «andam apressadas, onde há superficialidade, individualismo exagerado e secularização», a batalha contra o mal e o diabo torna-se cada vez mais uma emergência», afirmou.

No congresso, o Papa Francisco disse aos exorcistas para tratarem com «bondade» as pessoas que acreditam estar possuídas. A mensagem do Sumo Pontífice surge depois de a Associação Internacional de Exorcistas, fundada em 1990, ter visto em julho os estatutos reconhecidos oficialmente perante a lei da Igreja.

O padre Aldo Buonaiuto, conhecido pelos exorcismos que faz, disse à multidão de sacerdotes e psiquiatras, presentes no congresso, que o Halloween (Dia das Bruxas) é responsável pelo que diz ser um pico de possessões demoníacas, no mês de outubro. Durante esse período, afirmou o sacerdote, a Associação recebe cerca de 40 telefonemas por dia de pais que temem que os filhos sejam iniciados no ocultismo.

«Muitos dizem que o Dia das Bruxas é um simples carnaval, mas na verdade não há nada de inocente ou divertido nisso - é a antecâmara para algo muito mais perigoso», defendeu. «Há sempre mais rituais maléficos, sacrifícios de animais, profanações de cemitérios e furtos de ossos sagrados na altura do 31 de outubro», afirmou.

Além disso, o Dia das Bruxas é considerado pelas seitas como a «melhor época do ano» para recrutarem os mais recentes membros, a partir da qual «a porta para o diabo pode ser aberta», acrescentou o sacerdote, sublinhando que os perigos não devem ser subestimados.
 
Em vez disso, o padre Aldo Buonaiuto pediu às pessoas que participem das novas festividades «Holyween» da Igreja. «Enquanto a maioria das pessoas está mergulhada em zombies e horror, nós colocamos à nossa porta ou janelas uma luz ou uma imagem evocativa dos santos». «E, em seguida, haverá missas, vigílias de oração e adoração para celebrar os santos e a vitória do bem sobre o mal», rematou.