O grupo extremista Estado Islâmico (EI) executou três jovens na periferia da cidade síria de Hama, depois de os acusar da prática de “atos de sodomia”, informou este domingo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Segundo a agência de notícias espanhola EFE, esta organização não-governamental síria recebeu um vídeo com elementos do EI a dispararem sobre a cabeça dos jovens, os quais tinham os olhos vendados e estavam rodeados de dezenas de cidadãos, incluindo crianças.

Um tribunal islâmico, criado pelo grupo extremista, sentenciou os três jovens à pena de morte por “difundirem a perversão na terra e por tentarem alterar o instinto dos muçulmanos”, refere o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.