O ex-ministro do Interior, Claude Guéante, um dos colaboradores mais próximos de Nicolas Sarkozy, foi detido, tal como o ex-diretor da Polícia, Michel Gaudin, por uma investigação sob pagamentos num gabinete governamental.

Segundo a «Europe 1», que cita fontes judiciais, Guéant e Gaudin foram presos no início do interrogatório para que tinham sido convocados às 8 horas locais (menos uma em Lisboa) pelo Gabinete Central de Combate à Corrupção e Infrações Financeiro e Fiscal.

O interrogatório faz parte da investigação preliminar aberta pelo Ministério Público de Paris no passado mês de junho depois de um relatório de inspeção ter colocado em causa que membros do gabinete de Sarkozy, quando era ministro do Interior enre 2002 e 2004, tinham recebido bónus mensais de 10 mil euros.

Depois de um registo em sua casa, na qual encontraram muitas faturas dos bónus mensais, Guéant reconheceu que recebia uma parte em bónus, tal como outros colaboradores diretos de Sarkozy.

Em paralelo, os polícias da unidade financeira investigaram se tinha havido algum tipo de financiamento ilegal da campanha de Sarkozy em 2007, depois de várias denúncias de que tinha recebido dinheiro do regime de Muammar Gaddafi.