A Bolívia está disposta a considerar um pedido de asilo político por parte do americano Edward Snowden, que revelou os programas secretos de espionagem dos Estados Unidos e que está em Moscovo, declarou esta terça-feira na capital russa o presidente boliviano, Evo Morales.

«Se houver este pedido é claro que estamos dispostos a debater, a analisar este o assunto», declarou Morales em entrevista ao canal de televisão RT quando questionado sobre um eventual asilo de Snowden na Bolívia.

Morales esclareceu que a Bolívia ainda não tinha recebido nenhum pedido de asilo até ao momento.

Sabe-se que, o ex-consultor da Agência de Segurança Nacional dos EUA Edward Snowden solicitou, até agora, pedidos de asilo a 21 países: Rússia, Islândia, Equador, Cuba, Venezuela, Brasil, Índia, China, Alemanha, França, Finlândia, Polónia, Áustria, Noruega, Espanha, Bolívia, Itália, Irlanda, Holanda, Nicarágua e Suíça.

Vários já rejeitaram, como são os casos da Finlândia, da Índia, da Polónia, da Espanha e do Brasil. O pedido à Rússia foi retirado pelo próprio e a Venezuela demonstrou abertura para aceitar o pedido. «Ele merece a proteção do mundo. Ainda não nos pediu asilo, mas quando o fizer vamos dar a nossa resposta», disse o presidente Nicolás Maduro à Reuters durante uma visita a Moscovo.

O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Guido Westerwelle, confirmou ter recebido um pedido de asilo político e indicou que a solicitação será examinada «em conformidade com a lei».

«Posso confirmar que um pedido de asilo de Snowden foi recebido por fax esta manhã (terça-feira) às 8h11, hora de Moscovo», declarou o chefe da diplomacia em Berlim.