O presidente dos Estados Unidos ordenou, na quarta-feira, "o envio imediato" da Guarda Nacional norte-americana para a fronteira com o México, depois da "situação ter chegado a um ponto de crise".

Donald Trump afirmou que "a anarquia" na fronteira é "incompatível com a segurança e a soberania do povo americano" e que a sua administração "não tem outra escolha a não ser agir".

De acordo com a ordem presidencial, o secretário da Defesa e o departamento de Segurança devem trabalhar juntos na proteção da fronteira, de forma a "impedir o fluxo de drogas e pessoas".

O chefe de Estado norte-americano exigiu ainda um relatório, no prazo de 30 dias, que apresente "outras medidas que podem ser tomadas".

A secretária da Segurança Interna norte-americana, Kirstjen Nielsen, disse na quarta-feira estar já a colaborar com governadores dos estados fronteiriços para desenvolver acordos sobre "quantos e para onde serão enviados os guardas".

Na terça-feira, Trump tinha anunciado a intenção em destacar forças militarizadas para garantir a segurança da fronteira com o México, até o prometido muro ser construído, considerando tratar-se de “um grande passo”.

Trump assinou no mês passado uma lei orçamental atribuindo à construção do muro muito menos dinheiro do que o pretendido pelo chefe da Casa Branca.