O candidato às primárias republicanas Ted Cruz exprimiu, esta terça-feira, a sua cólera contra o favorito Donald Trump, que acusou o pai daquele senador de proximidade com Lee Harvey Oswald, o alegado assassino de John Kennedy em novembro de 1963.

Quando os eleitores do Estado do Indiana, no norte dos EUA, começavam a votar para os separar na corrida à investidura, Donald Trump retomou, por sua conta, durante uma entrevista à Fox News, as alegações do tabloide National Enquirer. Este último garantiu ter identificado Rafael Cruz, pai de Ted, em fotografias feitas em New Orleans em agosto de 1963, quando Oswald distribuía panfletos pró Cuba.

“O seu pai estava com Lee Harvey Oswald antes de ter sido morto”, disse Donald Trump, pouco depois da abertura das assembleias de voto no Indiana. “O que é que ele estava a fazer com Lee Harvey Oswald mesmo antes da sua morte? É horrível”.

Lee Harvey Oswald foi assassinado em 24 de novembro de 1963, dois dias depois do assassínio do Presidente Kennedy.

“Donald Trump afirma que o meu pai está implicado. É uma loucura total”, declarou Cruz, durante um encontro com jornalistas, visivelmente transtornado. “Esse homem é um mentiroso patológico. Não sabe distinguir entre a verdade e a mentira”, acrescentou.

Rafael Cruz, nascido em Cuba, chegou aos EUA em 1957, depois de ter sido detido pelo regime de Fulgencio Batista. Segundo o Miami Herald, ele apoiou o chefe rebelde Fidel Castro até ter percebido que este era comunista.